terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Campeonato Ibérico de Ori-BTT

Decorreu no passado fim de semana, na região de Olivença, a primeira prova da Taça de Portugal de Orientação em BTT - PMS Alumínios.

A prova, organizada pela Federation Extremena de Orientation e pelo Club Deportivo Altair, contou com duas centenas e meia de participantes, dos quais uma centena de portugueses.

O número de participantes nacionais foi, de facto, assinalável, principalmente, se tivermos em conta as baixas estatísticas de participação das ultimas épocas nesta modalidade e o facto de, numa atitude absolutamente incompreensível, a Federação Espanhola ter decidido, de forma unilateral, sobrepor as datas dos Campeonatos Ibéricos Pedestre e de Ori-BTT, em claro prejuízo para os atletas e para a modalidade... em nossa opinião, mais um motivo para ponderar o interesse em manter o atual modelo competitivo protocolado com a FEDO...

Relativamente à competição, a organização colocou aos atletas três desafios totalmente distintos:

Na manhã de sábado, a prova de distância longa, disputada em Higuera de Vargas, numa zona de fortes declives em que os percursos apresentavam um grau de exigência física extremamente elevado e com um traçado de qualidade técnica questionável... Ficou ainda no ar a dúvida decorrente da publicação de uma regra que proibia a circulação fora de caminhos mas que, pelo vistos, apenas se aplicava à distância média!!!

A prova de sprint decorreu na mesma tarde, na zona industrial de Olivença, num mapa quase sem desnível, em que a qualidade técnica do traçado melhorou... Ficou, no entanto, a sensação de que poderíamos ter tido uma prova memorável, caso a organização tivesse mantido o plano inicial de realizar a prova nas carismáticas ruas da Cidade de Olivença... até pelo significado histórico que teria para os atletas nacionais...

O evento haveria de ser fechado com chave de ouro, com a etapa de distância média disputada em Alconchel, uma pequena Vila com um magnífico castelo de estilo medieval... O Mapa, incluía a parte
urbana da vila e uma área aberta, nos arredores, com uma magnífica e intrincada rede de caminhos, muito bem aproveitada pelo traçador de percursos para criar desafios de navegação em velocidade aos atletas...

Em termos de resultados, apesar da Espanha ter dominado na maioria dos escalões (dez títulos), os atletas nacionais conquistaram as principais categorias:

Assim, enquanto na Elite Feminina, Marisa Costa venceu categoricamente, registando o melhor tempo nas três etapas, na Elite Masculina as vitórias de etapas foram discutidas entre Davide Machado e Daniel Marques, com Davide Machado a vencer as etapas de Sábado e a sagrar-se campeão ibérico.
Portugal arrecadou ainda mais dois títulos por Susana Pontes, em D40 e por Luísa Mateus, em D60.

O CAOS participou na prova com quatro atletas:

Em D40, Ângela Pedro classificou-se na oitava posição entre 14 atletas participantes, enquanto Nuno Pedro, em H40, foi 16.º entre 44 atletas.

Nos jovens, Dinis Lopes assinalou a sua estreia nesta vertente da modalidade com um promissor 6.º lugar (terceiro entre os atletas nacionais) no escalão H15, enquanto João Pedro se classificou no 11.º lugar do escalão, entre 17 participantes.

A próxima prova da Taça de Portugal de Orientação em BTT - PMS Alumínios disputa-se em Loulé, nos dias 8 e 9 de março...